top of page

Perda auditiva: conheça as causas e os tratamentos

Atualizado: 19 de nov. de 2021



A perda auditiva ocasiona desconforto aos portadores e às pessoas de seu convívio. A fonoaudióloga Aline Gomes (CRFa 11492RJ) esclarece que a deficiência possui tratamento e que o paciente pode ter uma qualidade de vida melhor.



JNB - Quais são os primeiros sintomas que o paciente manifesta quando se inicia o quadro de perda auditiva?

A.G.- A perda auditiva tem vários graus e pode afetar crianças, jovens e adultos, de ambos os sexos. Inclusive é possível um bebê já nascer com o quadro, assim como o adulto adquirir ao longo do tempo. Existem também as perdas auditivas hereditárias e as que acometem os idosos, chamadas de presbiacusia.



JNB - Que fatores externos podem contribuir para a perda auditiva em jovens e adultos?

A.G.- Estudos têm chegado a conclusão de que a poluição sonora em cidades grandes estão fazendo as pessoas, aos pouquinhos, perderem a audição. Porém, o uso frequente de fones de ouvidos com volume muito alto é o grande vilão.



JNB - Como os fones de ouvidos devem ser utilizados?

A.G.- O importante é usá-los a uma altura (volume) em que a pessoa consiga ouvir o barulho externo, ou seja, não ficar completamente isolada no som que está sendo amplificado. É necessário conseguir ouvir quem está perto.



JNB - Profissionais que trabalham com fones de ouvidos precisam ter cautela?

A.G.- O fone de ouvidos utilizado por profissionais, como, por exemplo, os de telemarketing, não é muito prejudicial. Pois o volume e o tempo de uso do mesmo não é tão preocupante.



JNB - Como devem proceder familiares e amigos ao perceberem a deficiência? Devem procurar um médico ou vão direto a um centro auditivo?

A.G.- Ao identificar que uma pessoa escuta, mas não compreende o que está sendo dito, o familiar deve levá-la a um otorrinolaringologista para diagnóstico preciso. Este especialista é quem decidirá se o paciente deverá ou não utilizar prótese auditiva.

Já o tipo e modelo de aparelho a ser utilizado é selecionado pelo fonoaudiólogo, que vai adequar a tecnologia necessária com o valor do aparelho acessível ao paciente.



JNB - Quais exames são solicitados para a verificação do problema?

A.G.- Audiometria, exame de discriminação auditiva, timpanometria e impedanciometria.



JNB - Quais são os aparelhos auditivos existentes no mercado?

A.G.- O mercado possui atualmente aparelhos de diversos tamanhos e modelos. Muitos têm conectividade com TV e celular via Bluetooth, o que permite, por exemplo, a pessoa ouvir televisão e escutar ligações do celular no próprio aparelho auditivo. Existem também aqueles que são à prova d’água e os que não requerem troca de pilhas, além dos que possuem redutor de ruído e gerenciamento de fala/som.



JNB - A perda auditiva não tratada pode se agravar ou acarretar outros problemas?

A.G.- A perda auditiva não tratada pode piorar com o passar do tempo e gerar outros problemas como risco de queda, isolamento social, perda de memória, inclusive doenças como depressão, demência e Alzheimer.



Comentarios


bottom of page