top of page

Quando precisamos nos despedir



Muitas vezes não é fácil nos despedirmos de alguém ou de algo que gostamos muito. Pensar na ausência nos remete a sentimentos desconfortáveis. Comigo não é diferente!


Em um primeiro momento fica uma sensação de vazio, digo “em um primeiro momento”, porque é preciso dar um sentido diferente a palavra despedida e não usá-la com uma conotação ruim quando nos afastamos daquilo que nos faz bem. Nem sempre estamos somente deixando algo (quando bom) para trás, na verdade levamos conosco a experiência, os acontecimentos e os sentimentos.


O tema deste mês é justamente uma despedida, pois após cinco anos como colaboradora na coluna de psicologia deste querido jornal, me despeço para seguir novos caminhos na vida profissional. Ficará a saudade e a lembrança de temas e reflexões tão especiais que dividi com você, leitor. E é justamente por este motivo que digo o quanto é necessário partilhar a despedida e vivenciá-la.


Ao longo da vida fazemos várias escolhas, que para serem exitosas, muitas vezes precisaremos finalizar o processo anterior para seguir em frente. O que se viveu e as recordações gratificantes não deixarão de existir e aquilo que não foi tão favorável, servirá como aprendizado na nova trilha a ser seguida. É sempre importante finalizar internamente as relações – pessoais ou profissionais – para dar início a uma outra transição na vida. Mudanças são saudáveis e vitais para nossa evolução.


Assim, aqui me despeço com emoção e certa de que outras histórias serão escritas, conhecimentos diferentes surgirão e um novo ciclo iniciará para todos nós. Com o percurso que agora começa, tudo que foi aprendido e vivido será levado para essa nova etapa.





bottom of page