top of page

Vacinação da covid-19




Disputas políticas a parte, a Agência Nacional de Saúde (Anvisa) aprovou no domingo, 17/01, a vacinação emergencial usando a Coronavac e a Oxford/Astrazeneca. Na manhã de 18/01, o ministério da saúde iniciou a distribuição da vacina para os 26 estados brasileiros mais o Distrito Federal. O início da vacinação começa no fim da tarde do mesmo dia. Dos cerca de 6 milhões de doses da Coronavac com o Ministério da Saúde, 1,3 milhão ficam no estado de São Paulo, sede do Instituto Butantan, responsável pelo imunizante contra o novo coronavírus no Brasil.


O Plano Nacional de Imunização (PNI) estava previsto para o dia 20. Mas, a pedido dos governadores, o ministro da saúde Eduardo Pazzuelo antecipou a distribuição. A entrega da vacina Coroavac aos governadores por parte do governo federal foi oficializada na manhã do dia 18, um dia da primeira dose ter sido ministrada logo após a aprovação pela Anvisa. O evento ocorreu no Centro de Distribuição Logística do Ministério da Saúde, em Guarulhos, na Grande São Paulo.


As vacinas serão transportadas por via aérea para o Distrito Federal e as capitais de dez estados: Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Santa Catarina. Também há previsão de distribuição de vacinas por via terrestre. De acordo com o Ministério da Saúde, dos 6 milhões de doses, perto de 42% são destinados ao Sudeste, 24% para o nordeste, 13% para o sul e 12% para o norte. Para o Centro-Oeste, estão reservados cerca de 9% das doses. Os grupos prioritários são profissionais de saúde, idosos em instituição de longa duração [asilos e casas de repouso], indígenas aldeados e deficientes com deficiências específicas.





bottom of page