top of page

Vacinação no Rio



A vacinação começou dia 19 de janeiro no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla e em alguns asilos e casas de repouso e continuou durante o feriado de São Sebastião nas instituições de longa permanência, já cobrindo a grande maioria desses locais. Também foram vacinados profissionais dos hospitais públicos e particulares que atendem covid-19 e das clínicas da família e centros municipais de saúde.


Entre os vacinados no período, 23.962 são profissionais de saúde, 6.589 idosos em asilos e casas de repouso, 564 pessoas com deficiência que vivem em instituições de longa permanência, 43 indígenas e 19 quilombolas.


Em um primeiro momento, a população não deve ir aos postos em busca da vacina. Os primeiros grupos prioritários são formados por:


1) trabalhadores de saúde que atendem diretamente pacientes com covid-19;


2) da Atenção Primária envolvidos na campanha de vacinação;


3) considerando a necessidade de retorno às atividades – recompondo a força de trabalho nos hospitais da rede – também os profissionais de saúde que atuam em CTI, urgência e emergência e que estavam afastados por idade ou comorbidade;


4) idosos e deficientes que vivem em instituições de longa permanência e os profissionais que trabalham nesses locais;


5) grupos indígenas e quilombolas.


A partir das novas remessas da vacina enviadas pelo Ministério da Saúde, a vacinação ocorrerá em todas as 236 unidades de Atenção Primária e nas Policlínicas em datas as serem divulgadas. Também haverá vacinação em pontos estratégicos e no sistema drive-thru. Para evitar aglomerações nos postos, o atendimento será escalonado, por grupos prioritários e dividido por subgrupos por idades, para os idosos.


Não será preciso se cadastrar previamente para tomar a vacina, mas as pessoas precisarão levar um documento oficial de identificação com foto que comprove fazer parte do seu grupo prioritário. Trabalhadores de saúde que tenham registro profissional (médicos, enfermeiros, etc.) deverão apresentar o documento de seu conselho de classe.


Ao tomar a primeira dose, o paciente receberá a caderneta ou comprovante de vacinação e a informação de quando deverá voltar para receber a segunda dose, preferencialmente no mesmo posto de vacinação. É imprescindível que, ao retornar para a segunda dose, a pessoa apresente o comprovante da primeira.


*com informações de https://prefeitura.rio/


Comments


bottom of page